quinta-feira, 5 de março de 2015

As rotas da canção

Meu bem,

Queria dizer tudo isto a olhos vistos.
Não tive coragem. Parei no primeiro número. Não consegui dizer o que vinha sentindo.
Muitas foram as tentativas, mas o silêncio resolveu inscrever-se por meio de cada música que acabei de escolher.
Não sei se devo, gostaria de dedicar - e dedilhar - cada letra daquela lista.
Escolhi cada canção como para o nosso dia, e pelo que não se passou em todos os outros dias.
Cada faixa foi lançada ao nada ...e isto nós coloca mais próximos.
Espero que não se vá, ou que se for, que me diga aos poucos...
{Acho que é o que me dizes.}
{Não sei se precisas desse corpo, ou se queres ao certo, ter-me por inteiro.}
{Ou se quereres vir para mim e então ao entrar, me tomar por algo que tens.}
{Tenho dúvidas e sinto-me forasteiro dentro desse nós, que não tem local de estar}
{Como corpo transitamos, entre estados de estar e passar}
{Dói muito este corpo, dói mais ainda te tratar no espaço do vagar}

Mas se vier, - este é o meu desejo - que venha sem o silêncio tão comum, esse mesmo que tens ofertado-me.
Traga o verso que calei, traga a nota que desperta os sonhos.
Traga a si mesmo. Traga a leveza do passar.
Mostre o seu riso. Já conheces o pranto desse ser desconcertadamente sujeito imperfeito.
e
sem mais
declaro gostar de você.
que me fez lembrar de algo que levava dentro {por ser distinto de você, e , ao mesmo tempo, parecido... Querido e desejado ser ...
De carinho vivido. Doce caminho.}
Mapa-múndi a descobrir
tento respirar
e fim

Latitude e Longitude
(eis o nome do LP)

Nenhum comentário: